Lgº. Sr.ª da Penha, 6160-115 ESTREITO
(+351) 272 654 670
(+351) 272 654 670

Palestra em Estreito

Junta de freguesia do estreito

A Real Associação da Beira Interior, com apoio da Freguesia  de Estreito-Vilar Barroco, organizou dia 07 no edifício da Junta de Freguesia local uma palestra subordinada o tema – “Tratado de Zamora”. O orador convidado foi o historiador e militar António Mateus Alves.

Na Mesa que presidiu o evento estiveram o orador, a Presidente da Freguesia de Estreito-Vilar Barroco – Regina Fernandes, o Presidente da Câmara Municipal de Oleiros – Fernando Jorge, o Presidente da Assembleia Municipal de Oleiros – José Santos Marques, a Presidente da Real Associação da Beira Interior – Elisa Vasconcelos e Sousa e o Assessor da Presidente da Real Associação da Beira Interior – Rui Mateus.

Duas datas importante se comemoram em Portugal, o 05 de Outubro de 1143 com o Tratado de Zamora e o 05 de Outubro de 1910 com a implantação da república.

A primeira república foi de 1910-1926, com um regime instável com governos a caírem sucessivamente e com 9 presidentes da república. Efetivamente a instabilidade dos regimes em Portugal começaram a surgir com o liberalismo – Monarquia Constitucional 1834-1910, mas mais acentuadamente com a primeira república e a entrada de Portugal na I Guerra Mundial do qual se perderam 10.000 vidas.

Com esta situação de verdadeira catástrofe avança em 1926 a II república com a ditadura militar 1926-1933 e o Estado Novo 1933-1974.

Recuando no tempo a Península Ibérica nomeadamente Portugal teve como primeiros povos há milhares de anos antes de Cristo os Iberos e os Celtiberos (que passaram a Lusitanos), mais tarde apareceram os Vetões, os Fenícios, os Cartagineses, os Berberes e os Hebreus.

Com a conquista do Império de Roma no Século II antes de Cristo, os romanos dominaram a Península Ibérica até ao ano de 476 depois de Cristo, que foi o ano da queda do Império de Roma, o fim da Antiguidade e o início da Idade Média.

Na Península Ibérica apareceram vários povos bárbaros, mas o domínio da Hispânia foi para os visigodos até 711. Em 711 até 1492 os árabes – muçulmanos estiveram na Península Ibérica, houve várias guerras com a reconquista cristã e a formação de vários Reinos cristãos nomeadamente Portugal.

Portugal antes de ser Reino Independente foi um Condado, cujo primeiro Conde foi Vimara Peres em 868, depois surge o Condado Portucalense com os Condes Dom Henrique e Dona Teresa.

Dom Afonso Henriques ou Afonso I de Portugal (primeiro Rei de Portugal), filhos dos Condes do Henrique da Borgonha e Dona Teresa filha bastarda de Afonso VI rei de Leão de Leão e Castela, primo de Afonso VII de Leão e Castela, primo de Hugo de Payns (primeiro Grão-Mestre da Ordem dos Templários) e de São Bernardo de Claraval da Ordem de Cister, desde muito jovem cria formar um novo Reino na Península Ibérica, transformando o Condado Portucalense em Reino de Portugal.

Em 24-VI-1128 com a Batalha de São Mamede, surge a “Primeira tarde de Portugal” (no dizer de Alexandre Herculano), Dom Afonso Henriques, vence os exércitos de Dona Teresa e de Fernão Peres de Trava.

Em 25-VII-1139 com a Batalha de Ourique Dom Afonso Henriques é aclamado Rei de Portugal.

Em 05-X-1143 com o Tratado de Zamora e com o reconhecimento do novo Reino de Portugal (cujo texto não existe) por parte de Afonso VII de Leão e Castela e da Santa Sé por parte do Cardeal Guido de Vico.

Dom Afonso Henriques também teve ajuda do Arcebispo de Braga Dom João Peculiar. Pode se dizer que Portugal torna-se mesmo um novo Reino no dia 05 de Outubro de 1143 com o Tratado de Zamora.

O documento referente a Zamora aparece entre 5 a 6 meses após o suposto Tratado de Zamora com a carta “Clavis Regnis Caelesps”.

Em 25-V-1179 com a Bula “Manifestus Probatum”, o reconhecimento oficial por parte da Santa Sé do Reino de Portugal.

Portugal, foi crescendo com várias conquistas até 1248 e assim definindo definitivamente as suas fronteiras e tornando-se a Nação mais antiga da Europa.

Em 1415 Portugal cresce com a expansão e depois com os Descobrimentos Marítimos, tornando-se a potencial mundial número 1 e o português como língua franca.

 

 

Publicações Relacionadas

Deixe comentário

five + 15 =