Lgº. Sr.ª da Penha, 6160-115 ESTREITO
(+351) 272 654 670
(+351) 272 654 670

Património

Freguesia de Estreito – Vilar Barroco

Património Histórico

Embarcamos numa importante viagem até às raízes desta terra.

A beleza da paisagem, a serenidade própria das aldeias beirãs, marcadas pelas construções em xisto, a cultura, as tradições e a hospitalidade das nossas gentes faz da freguesia de Estreito  – Vilar Barroco um lugar especial, e cativa ao primeiro olhar de quem nos visita.

Por cá apareceu uma considerável porção de moedas de prata, romanas, das quais sobressaía uma datada de 88 antes de Cristo, é por isso, provável, que o povoamento da freguesia ascenda a tempos pré-romanos. É referido no livro Memorias da Villa de Oleiros e do seu Concelho, 1881,  que este local terá estado sob influência de Romanos, Bárbaros e Mouros. É, também, referido o facto do Estreito ter estado sob domínio da Ordem de Malta.

Descubra a nossa História onde o passado se cursa com futuro.

Património Religioso

É no início do século XVII, que aparecem datadas as primeiras Visitações no arquivo Paroquial da Igreja de S. João Batista.

Estreito tornou-se freguesia no longínquo ano de 1535, e o Vilar Barroco foi desanexada de Cambas no século XVIII.  Este território fazia parte do antigo Priorado de S. João Baptista de Cambas, mais tarde, a paróquia do Estreito foi uma reitoria da Ordem de Malta, da apresentação do Bailio, ou, segundo a Estatística Paroquial de 1864, do grão-prior do Crato, que era o seu donatário.

No ano de 1963 iniciou-se a construção da nova Igreja de S. João Batista, de design majestoso e singular,  segundo o escultor Soares Branco é “uma expressão de louvor a Deus pela natureza selvagem e bela que envolve este templo”.

Quem visita a freguesia de Estreito – Vilar Barroco, encontra aqui vestígios do culto ao cristianismo, pode visitar as várias capelas e igrejas que compõem um património religioso, o qual temos sabido preservar.

Património Cultural

Em Estreito – Vilar Barroco, ainda, conseguimos respirar «aromas» do passado verbalizados pelas pessoas que continuam a perpetuar usos, costumes e saberes.

Envolva-se com as vivências e animação da nossa terra.

Festas Anuais Religiosas

Festa em Honra de Nª Sr.ª da Penha – Estreito- 4º domingo de Julho
Festa em Honra de S.Sebastião – Vilar Barroco – domingo mais próximo do dia 20 de janeiro
Festa em Honra do Divino Espírito Santo – Vilar Barroco – por ocasião do Pentecostes
Festa em Honra de S.José e Nª Srª das Póvoas- Vidigal- 1º domingo de agosto ou 5º domingo de julho (anos em que julho tem 5 domingos)
Festa em Louvor de Nª Sr.ª das Neves- Roqueiro- 1º domingo de agosto
Festa em Honra de Nª Srª das Candeias – Ameixoeira- 1º fim de semana de fevereiro

Festas Anuais não Religiosas

Mougueiras de Cima – Carnaval
Pião – julho
Bafareira – junho

Feiras Anuais

Feira de S.João – Estreito- junho (sábado imediatamente a seguir ao dia de S.João)
Roqueiro- 14 de agosto

USOS E COSTUMES

Com raízes fortemente ligadas à resinagem e ao linho, facilmente se encontram elementos patrimoniais representativos destas vivências e relatos de afectividades destas actividades que num passado foram a subsistência das nossas famílias.

Teimamos em manter vivas as tradições , nomeadamente, as que estão ligadas à tecelagem, a qual continua a ter uma grande expressão no artesanato da freguesia.

Leve consigo uma recordação encontra aqui peças únicas e de valor excepcional.

Património NATURAL

Estreito – Vilar Barroco é um local de calma e de boas vibrações.

Aqui, é sem dúvida um dos lugares perfeitos para esquecer a agitação das cidades e recuperar as raízes de um passado ligado à ruralidade. Quem nos visita dispõe de recantos repletos de pormenores e de simplicidade.  Um descanso perfeito em silêncio para que possa tirar partido da deslumbrante natureza que envolve e protege a freguesia de Estreito – Vilar Barroco.

Venha descobrir a nossa oferta no sector do Turismo Rural,  de Aventura e Natureza dinamizada pelas nossas colectividades e pelos alojamentos e restauração local.

TURISMO DE NATUREZA E AVENTURA 

A valorização da região passa por saber aproveitar os percursos interpretativos e culturais que permitam a observar de modo privilegiado do meio. Quem nos visita tem uma nova oportunidade de conhecer melhor o nosso território, a geologia, a fauna e a flora, a história e a arqueologia, passando pela arquitectura e pelo artesanato.

A magnífica paisagem da Serra do Muradal pode ser percorrida a andar, pelos adeptos do pedestrianismo, caminhadas ou marcha de montanha, em BTT, se for amante do parapente pode, também,  sobrevoa-la e contemplar este lugar de «beleza rara».

Aproveite a possibilidade de desfrutar da Escola de Escalada Crista do Zebro e da via Ferrata.

A Grande Rota Muradal – Pangeia (GR-38) é um circuito linear, com cerca de 37 Km, com um grau de dificuldade alto, foi inaugurada a 28 Março 2015. Oleiros passou, assim, a ter um dos mais conhecidos e percorridos trilhos do mundo, o Trilho Internacional dos Apalaches, o maior de pegadas humanas do mundo.

Porque espera, para nos visitar?